As Caça-Fantasmas

FEIG, Paul. 2016.

É uma pena que atrizes tão carismáticas sejam prejudicadas por um roteiro tão inconsistente.

O quarteto McCarthy-Wiig-McKinnon-Jones talvez forme um dos grupo cômicos mais carismáticos e eficientes de qualquer arte performática, capaz de superar mesmo as piadas mais medíocres (que, infelizmente, há em grande quantidade aqui) com sua química. Não obstante, chamar tanto o roteiro quanto a produção deste “As Caça-Fantasmas” de instável seria eufemismo, visto que o filme começa como uma das piores comédias da década, chega ao segundo ato como obra excelente e conclui-se como uma meramente razoável. Piadas inteligentes e improvisações inspiradas dividem igual espaço com lances mais vergonhosos do que “pavê ô pá cumê”, sagrando este visualmente interessante experimento de “terrir” como uma das maiores oportunidades perdidas do ano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s